terça-feira, 15 de setembro de 2009

O que é ser inconveniente?




Pensei:
Vivemos num mundo onde cada um tem a sua vida; suas responsabilidades, obrigações, deveres e até os seus momentos de lazer, claro;

Cada um vive em um contexto próprio, que foi criado na necessidade que temos de fazer as coisas acontecer, ou para nos entreter, ou para nos ocupar por um tempo determinado.


Um conjunto de programações mentais nos leva a um ato ou uma atitude e quando infringimos a programação habitual de outra pessoa sem que ela deseje, sem permissão, nos tornamos "inconvenientes".
Como um "Ser" curioso que sou fui procurar e encontrei assim:

Inconveniente


1. Não conveniente; inoportuno; impróprio.
2. Contrário à boa educação; malcriado.
3. O que não convém ou é prejudicial.
4. Estorvo.
5. Obstáculo; desvantagem.

Ser alguém inconveniente é ser alguém desnecessário a outro alguém.
Mas quando isso acontece?

Acontece quando não se é desejado em algum momento em relação a um fato, um momento ou até mesmo por alguém.

Você já se sentiu alguma vez ser inconveniente, desnecessário ou até mesmo frustrado por algo ou alguém?

Como lidamos com as pessoas? São elas importantes realmente pra nós?
Damos mais valor ao material ou ao espiritual?
Valorizamos mais o ter do que o ser?

As pessoas são importantes pra nós até que ponto?

Me perguntei assim:

O que nos faz sermos inconvenientes em um determinado momento de nossas vidas?

Pensei assim também:

"Inconvenientes devem ser os fatos que nos cercam e não as pessoas que fazem parte de nossas vidas".
Aprendi assim: Foque a causa de um problema e não as pessoas

As pessoas são importantes demais para atribuirmos a elas um peso de inconveniência.
Tá certo que o caráter de cada um é que vai determinar como nós somos.
Aprender qual o tempo certo para tudo nos faz ser "convenientes", que é a palavra raiz de "inconveniente"

Ser conveniente é ser necessário no momento certo e exato quando mais precisam de nós.
Quando precisamos ou não de algo ou alguém, demonstramos se queremos ou não esse algo ou esse alguém conosco!

Mas o problema está em se ter em demasia o algo ou esse alguém.
Falamos assim:

"Depois que se perde é que se dá o devido valor"

Tudo deve ser dosado em nossa vida na medida certa!
Como disse Paracelso, o pai da bioquímica:

"A diferença entre o remédio e o veneno está na dose"

Sou conveniente ou inconveniente?
Sou remédio ou veneno?
Quem você é?


Sou o que penso ser!

2 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

De algum modo sempre me senti inconveniente, nunca expresso os meus sentimentos porque não encontro um momento que seja adequado (como saber qual é o ideal? Quem é inconveniente​ nunca sabe). Gosto da parte que você compara o remédio com o veneno. Ainda não sei qual é a dose certa para mais mim...

Postar um comentário